Busca

2022-06-03 19:34:49 By : Ms. Linda xue

Junto da CPU, a placa de vídeo figura entre as peças mais importantes de um computador, responsável não apenas pelo sinal de vídeo da máquina, como também pelo processamento gráfico intenso, seja para games ou para aplicações profissionais.

Diante de tamanha importância, o componente também requer cuidados especiais na hora de se realizar a manutenção e é mais suscetível a erros ou aquecimento elevado, ao mesmo tempo em que gera os resultados mais empolgantes e palpáveis após upgrades.

Uma maneira de conferir a integridade da GPU durante os processos de manutenção, overclocking e undervolting, ou mesmo de avaliar sua capacidade máxima, é através de programas que realizam os chamados testes de estresse, desenvolvidos exatamente com a intenção de utilizar todo o potencial do chip gráfico. Você confere a seguir 5 dos melhores programas para levar sua placa de vídeo ao limite.

Além de ser responsável por uma das engines de games mais avançadas disponíveis atualmente, a Unigine desenvolve algumas das ferramentas de benchmark e testes de estresse mais robustos da indústria. Entre as principais soluções estão a Heaven, a Valley e a mais recente e pesada Superposition, de 2017, recheada de recursos visuais intensos, como Iluminação Global com Ray Tracing no Espaço da Tela (SSRTGI).

A Unigine Superposition está disponível em quatro versões, sendo uma gratuita voltada para o público gamer e usuários de Realidade Virtual. Esta versão inclui configurações personalizáveis, monitoramento da GPU, modo interativo para explorar o cenário e um modo VR, além de modo específico para estressar a placa de vídeo.

É importante destacar que há requisitos mínimos a serem atendidos, apesar de ser uma ferramenta diagnóstica, ainda que esses requerimentos sejam relativamente leves considerando a idade do benchmark. Segundo o site da Unigine, o PC avaliado precisa ter uma placa de vídeo com 2 GB de VRAM, 5 GB de armazenamento disponível e rodar Windows 7 64-bit ou mais recente, ou alguma distribuição Linux 64-bit.

Também há uma lista de compatibilidade com óculos de Realidade Virtual, que inclui o HTC Vive Pro, o HTC Vive, o Oculus Rift ou outros dispositivos que sejam compatíveis com a plataforma SteamVR.

Desenvolvido pela UL Benchmarks, o 3DMark é um dos softwares de teste de desempenho mais conhecidos do mercado, não apenas utilizado como uma ferramenta de teste de estresse, como também por overclockers profissionais, mantendo até mesmo um ranking global para isso.

A solução é uma suíte de testes disponível para Windows, Android e iOS, e assim como o Superposition, possui diferentes pacotes incluindo a Basic Edition gratuita (listada pela Steam como uma demonstração), a Advanced Edition, paga (R$ 58) e mais aprofundada, com testes que avaliam desempenho de Ray Tracing e DLSS, e uma edição Profissional para desenvolvedores e fabricantes de hardware (a partir de US$ 1,495, ou R$ 7.120, por ano).

Os dois principais testes, disponíveis na versão gratuita, são o Fire Strike, baseado em DirectX 11, com dois testes gráficos, um físico para CPU e um combinado entre CPU e GPU, além de presets para Full HD (padrão), Quad HD (Extreme) e 4K (Ultra); e o Time Spy, baseado em DirectX 12, com testes em Quad HD (padrão) e 4K (Extreme), e recursos mais complexos como processamento assíncrono e multithreading.

Quem optar por investir na edição avançada tem acesso ainda ao Port Royal, dedicado a avaliar o desempenho da placa no processamento de Ray Tracing, ao Wild Life, que utiliza a API gráfica aberta Vulkan em vez do DirectX da Microsoft, e a testes dedicados a recursos gráficos modernos, como Variable Rate Shading (VRS), pelo qual desenvolvedores reduzem a qualidade gráfica de áreas menos importantes do cenário para turbinar a performance.

Quanto aos requisitos mínimos, a UL Benchmarks indica o uso de PCs com CPU dual-core de 1,8 GHz, 4 GB de RAM, placa de vídeo com DirectX 11, Windows 10 64-bit e 2,9 GB de armazenamento disponível para instalação do Time Spy. Há também requisitos recomendados, que neste caso incluem CPU dual-core de 1,8 GHz com suporte às instruções SSSE3 (presente em CPUs modernas), Windows 11, GPU com DirectX 12 e 3 GB de VRAM, e 8,5 GB de armazenamento.

Um dos testes mais intensos disponíveis atualmente é o FurMark, desenvolvido pela geeks3D e conhecido por poder causar sobreaquecimento em situações extremas. Isso ocorre por conta dos algoritmos de processamento de pelos (de onde vem a parte "Fur" do nome), tarefa que leva GPUs ao limite independente de seu poder de processamento, em virtude da natureza desse tipo de cálculo.

O programa é gratuito e relativamente simples de ser utilizado, trazendo a possibilidade de realizar múltiplos ajustes de resolução, aplicação de antialiasing e mais. Devido a essas características, o teste é muito utilizado para avaliar a estabilidade da placa de vídeo e do sistema. Dito isso, é necessário utilizar ferramentas adicionais, como o MSI Afterburner, para acompanhar as estatísticas da GPU, já que os dados informados pelo FurMark são básicos.

Mais uma ferramenta bastante conhecida por entusiastas é o MSI Kombustor, desenvolvido em uma parceria entre a MSI e a geeks3D. O programa é baseado nas tecnologias utilizadas pelo FurMark, também contando com um teste que utiliza algoritmos de processamento de pelos, mas vai além ao trazer uma série de outros benchmarks com recursos muito intensos.

Assim como o "irmão mais simples", o Kombustor é utilizado para estressar uma GPU ao máximo, de modo a permitir conferir as temperaturas em uso extremo e a estabilidade da placa de vídeo e do computador. Além do teste de pelos, alguns dos recursos mais pesados implementados na suíte de benchmarks também incluem PhysX 4, escaneamento de artefatos, tesselação, profundidade de campo, renderização baseada em física e mais.

A solução é gratuita, mas possui requisitos mínimos: o instalador recomenda Windows 7 64-bit ou mais recente com acesso de administrador, placa de vídeo Nvidia da série GTX 900 ou mais recente, ou GPU AMD Radeon HD 7000 ou mais recente, com os drivers atualizados. É válido destacar que uma ferramenta adicional para checagem de estatísticas da GPU, como o próprio MSI Afterburner, é necessário.

Muito utilizado para conferir as especificações de um dispositivo, seja smartphone, tablet ou computador, como também para estressar o processador, o AIDA64 possui uma versão Extreme que engloba recursos mais avançados, como um teste de estresse para a GPU. O benchmark em questão é conhecido como GPGPU (General Purpose GPU), por avaliar o poder de processamento computacional da placa de vídeo, em vez de estritamente o poder gráfico.

Para isso, a solução utiliza a API OpenCL, especializada em tarefas de processamento de dados e algoritmos de alta precisão. Apesar de não lidar exatamente com gráficos, o programa ainda leva as GPUs ao limite, e pode servir como um bom termômetro de desempenho para fazer comparações entre diferentes placas de vídeo. O AIDA64 Extreme é pago, disponível em uma licença anual de R$ 262, mas conta com um período de testes de 30 dias.

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.